1001 álbuns para ouvir antes de morrer
'1001 Albums You Must Hear Before You Die’
27 de Abril de 2010

bringing It all back home (1965)

‘Bringing It All Back Home’ é o quinto álbum de estúdio do cantor Bob Dylan. O disco atingiu o nº 6 entre os álbuns do pop. Até o momento desta versão de 1965 e a sua performance no ‘Newport Folk Festival’, Dylan já tinha provado ser um mestre lírico e uma nova lenda no universo folk. Para os críticos este é um álbum brilhante: canções maravilhosas, muito bem executadas. Isso não pode ser dito para todos os álbuns de Dylan. Segundo esses críticos, pode-se dizer que esse álbum marcou o começo do rock moderno. O álbum abre com “Subterranean Homesick Blues”, apoiado por uma banda de blues e nela Dylan é: um crítico social mordaz e poeta. O retorno do blues elétrico está no arranjo quase rockabilly de "Maggie's Farm". E o conhecidíssimo folk-rock poético "Mr. Tambourine Man". E baladas consideradas extraordinárias, incluindo a ácida "She Belongs to Me" e uma de suas melhores canções de amor de sempre, "Love Minus Zero / No Limit". "On the Road Again" e "Bob Dylan’s 115th Dream" são sátiras hilariantes e "Gates of Eden" e "It's Alright Ma" tidas como obras de arte são profundamente cínicas. Os críticos têm tentado interpretar as canções deste álbum há mais de 40 anos (será falta do que fazer?), especialmente "It’s Alright, Ma" e "Gates of Eden", atribuindo grande importância às palavras que Dylan escolheu. As letras venenosas não poupam nenhum alvo em suas críticas. Tudo somado, para os críticos, este álbum é um bom retrato de Dylan, é uma vitrine para a sua escrita brilhante e a sua evolução musical e exposição de sua habilidade para transformar a sua voz não convencional em alguns dos vocais mais expressivos e eficazes do mundo. Ok! Dylan é considerado um poeta de renome mundial e um letrista importante para a música; ele se tornou um porta-voz para uma geração; é um ícone da cultura pop, representando a justiça social e os protestos pacíficos; foi nomeado pela revista Time como uma das 100 pessoas mais influentes do século 20; ganhou Grammys, Oscars e Globos de Ouro por sua música; a revista Rolling Stone classificou-o como o segundo em sua lista dos maiores artistas de todos os tempos; ele foi indicado várias vezes para o Prêmio Nobel de Literatura e recebeu um Prêmio Pulitzer honorário por seu impacto profundo na música popular e cultura americana e é um artista marcado por composições líricas de extraordinário poder poético, mas a voz é a mais medonha que já ouvi, basta ouví-lo em "Subterranean homesick blues". My God!

01. Subterranean Homesick Blues
02. She Belongs to Me
03. Maggie’s Farm
04. Love Minus Zero/No Limit
05. Outlaw Blues
06. On the Road Again
07. Bob Dylan’s 115th Dream
08. Mr. Tambourine Man
09. Gates of Eden
10. It’s Alright, Ma
11. It’s All Over Now, Baby Blue

download:
Bringing It All Back Home (1965)


bob dylan - subterranean homesick blues



publicado por mara* às 08:42 link do post
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
1001 albums you must hear before you die


É um livro de referência musical editado por Robert Dimery, co-fundador da Revista Rolling Stone e que escreve para a Time Out e Vogue. Originalmente publicado em 2005, o livro é constituído por uma lista de 1001 discos lançados entre 1955 e 2008, escolhidos por críticos, divididos por décadas e organizados em ordem cronológica. O livro foi revisto em 2007, 2008 e 2009, para incluir álbuns recentes. Todos são analisados conforme a importância na época, impacto sobre o público e vendagem. Os brasileiros indicados são analisados por Andrew Gilbert, especialista em música brasileira. Os 1001 discos não são unanimidade e o ‘porque’ de uns estarem no livro e outros não, são perguntas inevitáveis, há muita porcaria e muitos esquecidos.